sábado, 10 de novembro de 2012

E continuar sendo única


Querer ter a distância na minha vida, a deixar entrar como uma “inimiga” na minha relação com meus pais e amigos, me ensinou com uma dose de amargura, que as pessoas que querem seu bem, mostram isso, independente do tempo, do dia, do momento ou dos centímetros que as tem perto. As pessoas que só se interessam pelo que você tem, ou perante os outros, só mostram quando precisam de você. Mostram sua mesquinhez quando não conseguem ninguém para ouvi-las, indo atrás da sua presença como se você fosse a única e certa boa amiga; como também tem as que viram que você é uma presença momentânea, que mesmo não tendo noticias suas, não faz tanta diferença assim, então se distanciam.
A questão em si, é dar valor ao que se realmente é conquistado com vontade. Não adianta mentir pra se ter as pessoas por perto, se vangloriar por algo que você não tem, ou até tem, mas é totalmente fútil e descartável. Quem quer ser verdadeiro, não se firma em cima desse tipo de coisa. Tenho me certificado cada dia que, a verdade nos olhos tem seu preço, mas o valor dele é muito melhor. Cansei de não dizer o que eu realmente sinto, levar com a barriga certas situações que só tendem a se transformarem em problemas muito maiores depois. O egoísmo alheio é uma das coisas que mais mechem com meu intimo. Se achar o mais profissional, o que sabe tudo e que não aprende nada com ninguém que seja “menos” que ele... ou até mesmo só ouvir e ver o que quer, sem dar abertura aos que querem seu bem dando a verdade, nossa, me deixa enfurecida. Mas não é uma fúria que eu vou guardar em mim, até porque meus pais me ensinaram a filtrar esse tipo de coisa e jogar pela janela, se faz mal a mim mesma pra que eu vou regar esse tipo de sentimento? Aprendi que o mundo dá muitas voltas, e se você planta espinhos, vai colher espinhos.
Se você ainda não aprendeu a dar valor as pessoas e as coisas que você tem NAQUELE momento, e deixa o cristal quebrar, não adianta tentar colar, remediar ou até mesmo achar que comprar outro resolve. Se for mesmo um cristal, ele nunca mais volta a ser o mesmo. E digo NUNCA com convicção, porque as pessoas se calejam, aprendem que não adianta só um aprender, sempre vai ter um coração machucado.
Hoje, tenho poucos amigos, poucas pessoas que eu sinto realmente que me querem bem ao me abraçarem e sentirem em meus sorrisos que não estou bem por dentro, mas esses poucos, me deixam ainda mais especial, ainda mais feliz em saber que nesse mundo de pessoas que adoram serem tachadas de comuns, eu consegui peneirar pessoas que me veem como eu vejo o mundo. Como eu, apreciem a sinceridade e abominam o egocentrismo. O egoísmo tem uma coisa boa, ele conduz os insignificantes a se juntarem, tornando mais fácil a escolha de quem, você realmente quer levar consigo.
 Gosto de pessoas que sejam assim, oito ou oitenta, porque vivem com intensidade o que lhe és dado, apreciam o gosto de serem escolhidos por certas oportunidades e levam um ensinamento bom até da prova mais amarga. Porque a Vida acaba sendo assim, sendo boa quando você se sente único e amado por pessoas que somam e não que fazem você se arrepender de ter dado seu valioso tempo, a elas. 

1 comments:

Ana Santos disse...

Belas indiretas, amor! Principalmente a que foi pra mim:
"poucas pessoas que eu sinto realmente que me querem bem(...)"

(L)

Postar um comentário